quarta-feira, 24 de Abril de 2013

Facilitando a organização quotidiana# 3 - Na cozinha (Parte 2)

Preparação de refeições

post anterior  desta série abordava algumas questões práticas de organização da cozinha. A preparação das refeições é outro ponto fulcral do quotidiano e consome grande parte do tempo dedicado às tarefas domésticas. Cozinhar pode ser um prazer, mas no dia-a-dia, pode tornar-se também uma tarefa indesejada. Muitas vezes questionava-me se seria possível manter uma alimentação saudável, apesar do ritmo diário. Houve uma fase em que simplesmente não me apetecia cozinhar: chegava bastante tarde a casa e a única coisa que me apetecia era atirar-me para cima do sofá. Em alguns dias da semana, acabava por encomendar uma pizza ou outra coisa qualquer ou ir jantar fora. Confesso que também adoro experimentar novos restaurantes, novos pratos, novos sabores e isso influenciava o meu comportamento. Contudo, isto tinha um custo elevado e não apenas financeiro. Comecei a ganhar algum peso, a não me sentir tão bem, fisicamente. Algum tempo depois, comecei a questionar este meu comportamento e a equacionar se estaria a proceder correctamente. Cheguei à conclusão de que precisava de mudar algumas coisas. Neste momento, raramente janto fora ou encomendo comida durante a semana, porque consegui organizar-me e adquirir alguns "bons hábitos". O facto de gostar de cozinhar ajuda. Como menos vezes fora de casa e acho que isso me permite apreciar melhor esses momentos e perceber como é um "privilégio" poder fazê-lo. Seguem-se algumas dicas, que na minha opinião, facilitam a gestão diária.

1 - Elaborar uma ementa semanal. Ou quinzenal, ou mensal, conforme sentirem que faz mais sentido. Esta dica é um clássico dos blogs relacionados com a gestão doméstica! :) A minha perspectiva de menu semanal é simples: uma lista de refeições simples e equilibradas para ser utilizada de modo flexível. Do meu ponto de vista tem diversas vantagens: permite poupar tempo, permite orientar melhor as tarefas culinárias, bem como gerir melhor os ingredientes disponíveis, e consequentemente poupar dinheiro. Ao elaborar o menu é fundamental considerar as nossas rotinas e horários. Por exemplo, à sexta-feira cozinho sempre coisas mais rápidas, leves e que exijam um esforço mínimo. Normalmente é um dia de trabalho mais intensivo ou aproveito para começar a organizar e limpar a casa para cumprir a rotina de limpeza semanal. Deste modo, faço uma melhor gestão do tempo, dos recursos e da energia disponíveis.

2 - Escolher receitas de preparação simples e rápida. A rotina semanal da maioria das pessoas é pesada. Casa-trabalho-casa. Deslocações. Perdem-se horas de vida no trânsito. Tarefas inadiáveis. Quem tem crianças a cargo, tem um desafio acrescido: assegurar os cuidados básicos, mas acima de tudo tentar assegurar interacções de qualidade, ter tempo para brincar e escutar e nutrir afectivamente. A par disto é necessário cozinhar diariamente (ou quase), fazendo escolhas saudáveis e nutritivas. Uma pesquisa pela Internet permitir-nos-à obter muita informação sobre refeições rápidas. Consultar alguns livros que abordem esta temática poderá ser também um modo de nos inspirarmos (sou um pouco viciada em livros de cozinha, mas já abrandei o ritmo de aquisições). Alguns livros que abordam este tema e que acho muito interessantes:
 - "O que faço hoje para jantar?" da Joana Roque. É sem dúvida uma autora que me inspira e este livro é prático, organizado e apresenta receitas ao alcance de todos.
- Refeições Rápidas. Tem algumas alternativas interessantes e acessíveis. O livro tem um bom design e está bem organizado. O custo do livro é bastante acessível.
- Refeições em 15 minutos do Jamie Oliver. Este livro tem receitas fantásticas! Contudo, o custo médio por refeição é bastante elevado e há alguns ingredientes que são difíceis de encontrar. Apesar disto, é uma excelente fonte de inspiração, já que podemos sempre adaptar as receitas às nossas necessidades e aos ingredientes disponíveis.
Por outro lado, ocorre-me também algo que a Nigella Lawson aborda no seu livro "Na Cozinha com Nigella" e ao qual dedica um capítulo inteiro: "Rápido-Rápido-Devagar": "Nunca compreendi muito bem porque é que algumas pessoas são obcecadas com o tempo que demora uma receita, ou melhor, com o tempo que alguma coisa demora a cozinhar. (...) o tempo que alguma coisa demora a cozinhar é o aspecto menos stressante: o que deve ter em consideração é o tempo que precisa de estar na cozinha. É por isso que quando estou cansada e com falta de inspiração prefiro pôr um frango a assar - que leva mais ou menos uma hora a cozinhar, mas que não exige a minha presença - do que começar a cortar coisas para fritar, que pode levar apenas dez minutos, mas durante os quais estou freneticamente ocupada" (cit. in pág. 109). 

3 - O segredo está na preparação. Por alguma razão, muitas das horas de funcionamento de um restaurante são dedicadas à preparação dos serviços de almoço e jantar. Há algum tempo dei por mim a reflectir sobre a minha alimentação e a pensar porque não comia mais vezes salada. A resposta foi simples: porque depois de um dia de trabalho, de passear a cadela, de despachar umas quantas tarefas domésticas e de preparar o resto da refeição, a última coisa que me apetece fazer é lavar, cortar e secar folhas de alface! É uma actividade simples, é certo, mas é um esforço extra. Há algumas coisas que podemos fazer para facilitar a preparação das refeições:
- Preparar e congelar vegetais. A maioria dos vegetais pode ser congelado, sem dificuldade de maior. Podem congelar-se isoladamente ou preparar misturas: vegetais para saltear, base para sopas, vegetais para estufar, cebolas picadas para refogados, etc. Em alternativa podemos adquirir legumes já congelados, dado que não existe grande diferença em termos nutricionais. Alguns tipos de legumes e vegetais congelados poderão ser ligeiramente mais caros, mas o tempo que poupamos poderá compensar essa diferença. 
- Preparar a base para as saladas. Quando compro alface, costumo lavar a alface inteira, corto-a e seco-a bem (um escorredor de saladas é muito útil para esta tarefa) e coloco-a numa caixa hermética com o fundo forrado com papel de cozinha. Preparada deste modo, a alface conserva-se em boas condições durante vários dias. Durante a semana, basta colocar a alface numa taça de servir, juntar os ingredientes que desejarmos e temperar. Uma taça de salada em menos de um minuto. 
- Carne cortada, peixe amanhado. Quando adquirirmos carne ou peixe, poderemos pedir que estes sejam devidamente cortados ou amanhados, bem como embalados em porções suficientes para uma refeição. A maioria dos supermercados já oferece estes serviços, sem custos para os clientes. 
- Preparar uma quantidade de sopa suficiente para alguns dias é uma prática, que para além de potenciar uma alimentação mais saudável, poderá ser "a tábua de salvação" em dias mais atribulados. "Comer a sopa e mais qualquer coisa" (sanduíches, omeletes, tortilhas, etc.) é algo bem conhecido da maioria de nós, certo?  Também pode ser útil ter algumas refeições congeladas.
- Adquirir a rotina de preparar os ingredientes necessários para a refeição seguinte (descongelar, marinar, temperar...) enquanto se prepara o jantar é algo que também facilita a organização destas tarefas. 

4 - Usar os atalhos necessários. A maioria dos programas e competições de culinária "condenam" a utilização de alimentos pré-cozinhados ou pré-preparados, como se fosse um pecado capital na cozinha. Creio que a frase que melhor retrata isto é o célebre "Isso veio de um frasco?". Pessoalmente, e embora prefira usar ingredientes frescos, há ingredientes pré-preparados que facilitam imenso a preparação das refeições. Por exemplo, raramente faço puré de batata caseiro! Recorro ao puré congelado de marca Pingo Doce e obtenho um efeito muito semelhante. Por outro lado, podemos preparar algumas coisas, que depois de congeladas, permitem atingir os mesmos objectivos: bolonhesa de carne, soja ou atum; refogado de bacalhau, frango cozido desfiado, misturas de ervas aromáticas e azeite... enfim, uma lista sem fim. Em síntese sou uma acérrima defensora das "batotas" na cozinha! 


4 comentários: